Revisão

Por que revisamos o nosso acordo de remuneração?

A cada trimestre, utilizamos todos os insumos do acompanhamento mensal que já fazemos sobre as nossas entregas e vendas para refletir sobre o acordo de remuneração que definimos no início do ano fiscal. Nesse momento, nosso objetivo é entender se existem tensões "individuais", ou seja, se alguém sente que os números que propôs no acordo deveriam ser outros - seja para mais ou para menos. Caso haja tensões nesse sentido, esse processo de revisão irá apoiar você a entender melhor essa tensão e desenhar uma proposta para que façamos uma nova rodada de consentimento revisando os valores do acordo em si.

Como funciona essa revisão?

Nesse primeiro trimestre do ano fiscal de 2019, vamos testar um formato de revisão que segue 5 passos:

Primeiro passo
1- Autorreflexão: O primeiro passo que tomamos, começa em cada um de nós, refletindo sobre as seguintes questões considerando tanto o o pilar de entregas quanto de vendas:

- Como você observa a sua contribuição dentro da TRIBO neste trimestre?
- Como você se sente com relação ao equilíbrio entre a sua remuneração e a sua contribuição?
- A partir disso, você sente alguma necessidade? Se sim, qual(is)?

Objetivo dessa etapa: Entender como observamos a nossa situação atual em entregas e vendas e se existe alguma necessidade de que os valores que estão no acordo hoje sejam diferentes.

Segundo passo
2- Coaching em duplas: Agora é hoje de expandir e aprofundar essa observação trocando sobre como foi a sua autorreflexão e o que você tem pensado sobre a revisão (ou sua inserção no acordo caso você esteja para entrar) do acordo de remuneração. Aqui está um Guia do Coaching em Duplas  que pode servir como base para a sua dupla, caso vocês queiram e que se baseia na metodologia do Coaching Circle, ferramenta de DHO.

Terceiro passo
3- Tensão: Depois de abrir a sua visão sobre o momento atual, é hora de fechar esse raciocínio entendendo se existe ou não uma tensão hoje na sua contribuição dentro do Acordo de Remuneração da TRIBO. Se não tiver: simples, você não precisa fazer nada específico, apenas garantir a sua presença na RT que vamos trocar feedbacks e trabalhar as próximas duas etapas. Se você não tiver uma tensão sobre a sua participação no acordo, pode ser interessante oferecer ajuda e apoiar alguma pessoa que tenha uma tensão para afinar a respectiva proposta ;-)

Se você tiver uma tensão: basta registrar na planilha do acordo de remuneração e, então, chamar pelo menos duas pessoas da TRIBO pra te apoiarem como afinadores da proposta. A proposta não precisa estar junto à tensão na planilha, você pode criá-la em um documento que seja visível apenas pra você e compartilhar com essas duas pessoas para afinar e entender se esses novos valores, sejam eles maiores ou menores, fazem sentido também para elas, se elas enxergam alguma possibilidade diferente. Guarde essa proposta porque ela será utilizada entre os dois passos a seguir!

Quarto passo
4- Rodada de Feedbacks: Todo mundo já refletiu e entendeu quais as tensões que estão presentes hoje no que diz respeito ao Acordo de Remuneração, chega a hora de trocarmos feedbacks e olharmos qualitativamente para os nossos papéis e contribuições dentro da TRIBO. Essa rodada de feedbacks acontece para todos que fazem parte do círculo hoje e é estruturada e conduzida da forma que o(a) facilitador(a) da TRIBO decidirem realizá-la. O importante é garantir um ambiente de muito amor e verdade para que tudo o que precisa ser dito, seja dito, honrando o nosso even over de priorizar conversas difíceis e oportunidades de desenvolvimento mesmo sobre uma harmonia artificial.

Como essa dinâmica é definida pelo(a) facilitador(a), se for necessário algum tipo de preparação, você será avisado antes da RT que é o local onde realizamos esse passo todos em conjunto e ao vivo e a cores!

Quinto passo
5- Rodada de consentimento: Uma vez trocados os feedbacks, temos um tempo para ajustar a proposta que já havíamos desenhado e, então, seguir o padrão da Tomada de Decisão por Consentimento para consentirmos, levantarmos preocupações ou objeções sobre a proposta de cada uma das pessoas que levantou uma tensão sobre o Acordo de Remuneração. Depois de consentidas as propostas, revisamos os valores e atualizamos os salários daquelas pessoas que tiverem levantado tensões. Caso haja alguma objeção, a pessoa que trouxe a proposta junto a alguns afinadores, irá redesenhá-la e trazer uma nova proposta em uma próximo Reunião de Governança ou, então, essa nova proposta pode ser sugerida no momento da RT e ser aplicada uma nova rodada de consentimento.


Vou entrar no Acordo de Remuneração agora, o que eu faço?

Se você chegou agora na TRIBO, não se preocupe que ainda terá 3 meses de adaptação até conhecer mais o nosso sistema e, então, poder propor a sua contribuição e salário, entrando no Acordo de Remuneração. E, se esses 3 meses já tiverem passado e você for entrar no acordo, basta seguir os mesmos passos descritos acima, mas sabendo que no seu caso a tensão é que hoje você não está no acordo e já se passaram esses 3 meses, portanto, existe a necessidade de definir as suas contribuições em entregas e vendas e, assim, o seu salário para fazer parte do acordo.

Ao longo desse processo, se tiver qualquer dúvida, é só falar com o Klyns, nosso COO, ou a Sté, nossa representante de DHO. :)

Subpáginas (1): Guia Coaching em Duplas
Comments